5G no Brasil veja as vantagens e expectativas dessa Tecnologia

5G no Brasil ? O advento da tecnologia 5G já não é novidade para ninguém, mas será que todos sabem realmente do que se trata essa inovação? Qual o seu impacto no dia a dia das pessoas? Que vantagens ela pode trazer para a nossa sociedade? Nesse artigo você ficará sabendo um pouco mais sobre o 5G no Brasil e no mundo, e quais as grandes vantagens desse avanço tecnológico.

Essa inovadora tecnologia na transmissão de dados é o novo padrão de comunicação móvel que garante velocidades bem maiores do que as atualmente disponíveis. Além disso, logra a façanha de permitir a interação entre dispositivos IoT em tempo real. Se trata de uma conexão super veloz que estará disponível a todos nos próximos anos e graças a ela os usuários poderão usufruir de velocidades de download e upload que jamais foram experimentadas antes.

Segundo as operadoras, a tecnologia 5G pode atingir uma velocidade de no mínimo 100 vezes à atualmente conhecida como 4G. Para você ter uma idéia real da velocidade que a nova tecnologia promete, um filme gravado em 4K seria baixada em poucos segundos usando o sinal 5G, o que pode levar vários minutos ou até hora usando o 4G disponível hoje em dia.

Quando chega 5g no Brasil?

No ano passado a Anatel aprovou resolução para liberar as faixas de freqüência necessárias a implantação da tecnologia 5g no Brasil. Apesar disso, a implementação de fato na novidade em território brasileiro ainda vai ter que esperar um bom tempo. Isso devido a burocracia reinante no país, pois o edital com tal fim que estava previsto ser elaborado em meados desse ano, está em vias de sofrer um novo adiamento.Ou seja, diante de tal quadro o que se pode prever é que a tecnologia só estará disponível aos usuários nacionais apenas o ano que vem.

5G no Brasil
internet 5g

Os leilões para as futuras redes 5G brasileiras também estava previsto para o segundo semestre deste ano e conseqüentemente deve sofre adiamento junto com o edital. O leilão permitiria que as operadoras pudessem negociar pacotes com a nova tecnologia do final do ano para o começo do ano seguinte, mas isso já não é uma certeza. A Anatel, dentre outras exigências, requer que as operadoras forneçam uma internet no mínimo 4G nos locais que não forem contemplados com o 5G, e impõe aindaa cobertura quase total de centros urbanos com até 30.000 habitantes (95%).

Como toda novidade, o 5G será usado no início apenas por um grupo de privilegiados, pois o uso dessa tecnologia exige a aquisição de novos dispositivos que estejam preparadas para usá-la,  e que obviamente são bem mais caros. Mas com o passar do tempo os custos vão diminuir e a tendência é o 5G se torne bem mais acessível a realidade brasileira. A massificação de um produto ou serviço tecnológico, recém lançado ao mercado, ocorre em torno de 5 a 6 anos, em média, os que nos leva a deduzir que apenas em 2025 o 5G estará acessível a maior parte do mercado.

Quais países já dispõem do sinal 5g ?

A Coréia do Sul se tornou o primeiro país do mundo a ter cobertura 5G em 100% do seu território. A façanha foi alcançada pelas grandes operadoras de telefonia móvel do país que antes mesmo do previsto conseguiram o objetivo dantes proposto pelo setor. Agora todo cidadão coreano já pode aproveitar as vantagens do 5G, enquanto nós brasileiros apenas sonhamos com isso.

Os cidadãos de algumas partes dos EUA também já têm acesso ao sinal, mesmo que de maneira restrita. O serviço é prestado pela Verizon e somente em determinadas regiões do país como Minneapolis e Chicago. Para usufruir do generoso sinal os proprietários de smartphones precisam de uma smartfone da marca e modelo “Moto Z3” que possuem um acessório que permite acesso ao sinal 5G. Além desse serviço a empresa também fornece o 5G em banda larga residencial.

A AT&T também desbrava essa tecnologia poderosa no país, o ano passado anunciou a disponibilidade de cobertura em 12 cidades do país chegando a 21 no final do mesmo ano. O serviço é descrito pela empresa como “5GE” e após análise técnica ficou provado que o sinal fornecido pela empresa não alcança as velocidades prometidas pelo 5G, mas somente um 4G+ ou até mesmo inferior a isso. A operadora Sprint também prevê o lançamento do serviço agora para maio desse ano em algumas cidades do país.

As cidades de Melbourne e Sydney, na Austrália, também já dispõem do sinal através dos serviços da companhia Telstra, que já liberou o sinal nestas cidades, em 2019. Outros países que também já deram seus passos nesse sentido foram China, Japão e alguns europeus.

Como funcionará e qual a freqüência da tecnologia 5g?

Para o 5G atingir suas altíssimas velocidades precisa uma faixa de freqüência singular que até o presente momento ainda não havia sido utilizada. Até a bem poucos anos atrás jamais se imaginaria essa faixa para comunicações, pois suas ondas possuem dimensões milimétricas. Todavia a ciência provou, mais uma vez, que não existem limites para a tecnologia e através de pesquisas constatou que essas ondas poderiam sim ser usadas com esse fim.

A faixas de frequência que serão liberadas para o 5G, com aprovação da Anatel, são de 2,3 GHz e 3,5 GHz. Segundo o presidente da empresa, Leonardo de Morais, ambas as faixas são de extremada importância para possibilitar a implantação da tecnologia no Brasil, pois dará condições para as operadoras instalarem suas redes.

A faixa de 2,3 GHz será disponibilizada sinais de frequências entre 2300 MHz e 2400 MHz, sendo esta, a faixa mais empregada pelos sistemas IMT. Já a faixa de 3,5 GHz trabalhará com as frequências de 3300 MHz a 3600 MHz, sendo a que ficará disponível para o sinal 5G de altíssima velocidade.

Quais operadoras operam o sinal 5G no Brasil?

No Brasil tudo sobre o 5G gira no campo das expectativas, em decorrência da burocracia, da regulação excessiva, dos processos leilão morosos e que sempre são adiados, etc… Anteriormente se falou sobre a interferência do sinal 5G nas transmissões de TV via satélite, mas após algum tempo e discussões entraram em acordo para compartilhar as faixas. Atualmente o impasse se dá na questão do edital da Anatel que nunca sai do papel, devido a divergências internas entre conselheiros e relatores.

Ao que tudo indica, as grandes operadoras que atuam no país não demonstram pressa alguma no desenrolar da questão, talvez com o receio de que o resultado de tudo isso não seja vantajoso para os acionistas. Sendo assim, aguardam impassíveis, na expectativa de que tudo finde em um grande “acordo” onde as mesmas saiam ganhando, ou melhor, lucrando, como ocorre de praxe, e o que deverá ocorrer “também” como o novo Marco Legal das Telecomunicações.